Consumidor relata ter encontrado rato morto em molho de tomate

Músico do Rio estava preparando um macarrão à bolonhesa quando encontrou o animal

ratonaom_5720fe4e2b788

O músico Gustavo Loureiro, do Rio de Janeiro, teve uma surpresa desagradável antes de preparar um macarrão com almôndegas à bolonhesa. Segundo ele, o molho de tomate da marca Quero tinha dentro um rato morto.

Em declaração ao Jornal O Dia, Gustavo disse que já havia usado uma embalagem inteira e que quando abriu uma outra percebeu o animal: “Fiquei muito assustado”, disse. Gustavo chegou a ligar para o telefone 1746, número de reclamações da Prefeitura do Rio, para comunicar a Vigilância Sanitária, mas não obteve sucesso. O consumidor relatou que o produto pertence ao lote L290536m5-1. Gustavo ainda tentoi contactar a Quero Alimentos, a mesma empresa da marca Heinz, que já possui se envolveu em outra história semelhantes quando, em 2013, foi identificado no México produtos com pelo de roedor.

Ao ser procurada, a assessoria da marca informou que já entrou em contato com Gustavo para que fosse agendada uma visita técnica e, então, o produto fosse analisado. A Vigilância Sanitária, por sua vez, disse através de nota que vai recolher amostras do produto para análise.

Leia o documento da Quero na íntegra:

“A empresa esclarece que preza pela qualidade de seus produtos, que são feitos de acordo com rigorosos padrões de segurança alimentar. Desde que tomou ciência do caso, a empresa está em contato com o consumidor para agendamento de uma visita técnica para a retirada do produto e análise. A Quero Alimentos reforça, no entanto, que possui em seu processo produtivo eficazes sistemas de controle que impedem a entrada de qualquer objeto estranho dentro das embalagens de seus produtos. A empresa reafirma seu total respeito, transparência e compromisso com o consumidor, com o foco constante na máxima qualidade de seus produtos, e está à disposição para esclarecer eventuais dúvidas.”

Confira a nota da Vigilância Sanitária na íntegra:

“A Vigilância Sanitária do município do Rio de Janeiro informa que, após denúncia na página oficial do Facebook (Vigilância Sanitária Rio), irá recolher amostras do molho denunciado, para análise no Laboratório de Controle de Produtos do órgão. Caso seja constatada a presença de contaminantes, serão recolhidas, no município, todas as embalagens do lote denunciado. No entanto, a Vigilância afirma que os canais oficiais de denúncia são o telefone 1746 ou o site www.1746.rio.gov.br. Já à rede social cabe a divulgação de ações, dicas, e esclarecimento de dúvidas à população.”

NOTÍCIAS AO MINUTO