Renan Filho fortalece mecanismo de fiscalização em Alagoas

Governador pôs para funcionar Bloco Administrativo Sílvio Vianna, em Jacarecica, e inaugura nova era na luta contra sonegação fiscal

 

Governador e secretário George Santoro, ao inaugurarem estrutura do Bloco Administrativo Silvio Vianna após 8 anos fechada; na ocasião foi feita entrega de novas viaturas que irão fortalecer fiscalização nas ruas
Texto: Cadu Epifânio
Fotos: Márcio Ferreira

Depois de oito anos parada, finalmente a estrutura física – e funcional – do Bloco Administrativo Silvio Vianna, da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), em Jacarecica, está efetivamente em funcionamento. Graças aos esforços do governador Renan Filho em melhorar o sistema de fiscalização e evitar a perda de divisas, o Governo do Estado tem preparado a Sefaz para prestar um melhor serviço.

Com a inauguração realizada na manhã desta segunda-feira (14), o governador Renan Filho inicia, sobretudo, uma nova era na luta contra a sonegação fiscal. Entre os estados pobres, Alagoas é o mais pobre, sendo assim, é preciso evitar o desperdício, principalmente de recursos financeiros oriundos dos impostos pagos por cada alagoano.

Foi batendo nessa tecla e percorrendo as salas e espaços da Escola Fazendária, Renan Filho enfatizou que mesmo diante do cenário de crise, o Estado está buscando receitas extraordinárias. Tudo para não perder um centavo, pois para Alagoas vale muito.

 

 

“Estamos buscando receitas como a liquidação definitiva do Produban [Banco do Estado de Alagoas]. Tentando receber o dinheiro da Ceal, que foi expropriada do Estado no final da década de 1990, e o Estado não recebeu os recursos por ela; ou seja, criando outras receitas para superar a crise, para quando o Brasil sair da crise, estarmos preparados para investir o dinheiro que temos naquilo que o alagoano mais precisa”, salientou o governador.

Em paralelo, a fiscalização de rua da Sefaz também foi robustecida com a entrega de novas dez viaturas, modelo Amarok. O governador Renan Filho chamou a atenção para um detalhe que, em primeiro momento, pode passar despercebido, mas a entrega de veículos maiores, com giroflex, vai dar mais presença às equipes de fiscalização.

“Com aquela frota antiga, sucateada, os veículos nem paravam, não respeitavam e para prover a questão de tributos é preciso esse ‘respeito’”, justificou Renan Filho.

 

A explicação do governador vai além e justifica a ideia de reforçar o trabalho dos fiscais de tributos. Ou melhor, o Governo de Alagoas quer aumentar a capacidade de fiscalizar, conseguido, por tabela, fazer com que a arrecadação cresça, acabando com a sonegação e o desperdício. Agora, o contribuinte e o servidor dispõem de instalações modernas e confortáveis para resolver pendências tributárias.

“O imposto que não é pago nas barreiras fiscais entra no Estado e sacrifica o comerciante alagoano, aquele que vem de fora e não paga imposto, acaba consolidando uma concorrência desleal”, completou o governador, que anunciou a construção de dois novos postos fiscais, um no município de Novo Lino, região da Zona da Mata alagoana; e outro, no município de Porto Real do Colégio, no extremo Sul de Alagoas. Além da reforma dos postos de Maragogi e o de Delmiro Gouveia.